Sporting critica decisões do CD da FPF: "Umas palavras, duas medidas"




Miguel Braga, diretor de comunicação dos verde e brancos, mostrou o seu descontentamento contra o arquivamento dos processos disciplinares instaurados contra Pepe, Coates, Matheus Reis e Nuno Santos.

miguel Braga, diretor de comunicação do Sporting, assina esta quinta-feira o editorial no Jornal Sporting, no qual critica a decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, que mandou arquivar os processos disciplinares instaurados contra Pepe, Coates, Matheus Reis e Nuno Santos e que estavam relacionados com o jogo da 3.ª jornada.
Sob o título "umas palavras, duas medidas", o responsável leonino apontou o dedo ao facto do organismo federativo utilizar dois caminhos diferentes para arquivar os quatro processos acima referidos.

Por um lado, Miguel Braga lembra que "argumentou o CD no sentido do arquivamento imediato dos processos disciplinares a Pepe, Coates e Matheus Reis com base no argumento de que os lances em causa foram observados e avaliados pelos elementos da equipa de arbitragem, pelo que o CD não dispõe de poderes para sobre eles se pronunciar. ". Já no que diz respeito a Nuno Santos, o dirigente dos verde e brancos escreve que o avançado dos leões "foi o único jogador contra quem foi estranhamente deduzida acusação pela Comissão de Instrutores da Liga, foi absolvido por falta de elementos suficientes nos autos para condenar o jogador."
"Também devemos recordar, que foi este mesmo CD que no início do ano decidiu "julgar procedente a acusação" contra Nuno Santos, por alegados insultos a outro jogador, condenando-o a um jogo de suspensão e multa. Como tal, a equipa de arbitragem (VAR incluído) viu, sabia e nada fez sobre o facto de Pepe ter repetido o alegado insulto a Matheus Reis que já serviu para condenar um jogador do Sporting CP no passado. O CD idem idem, aspas aspas. Lamentável", termina Miguel Braga.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem